Categorias
Notícias

MTur detalha como será feita a liberação dos R$ 5 bi ao Turismo

Segundo o ministro, estudos já mostram que os destinos rurais e da natureza serão os mais visitados
quando as viagens de turismo forem retomadas no Brasil. Fotos: Isa Klein e Marcelo Luciano

O Ministro do Turismo, Marcelo Alvaro Antônio, explicou nesta sexta-feira, 8, como será a liberação dos R$ 5 bilhões do fundo garantidor para o setor, conforme Medida Provisória editada pelo Governo Federal. De acordo com o ministro, a MP 963 consiste na liberação de um crédito extraordinário para atender as empresas do setor de viagens e turismo, 100% sob supervisão do Fungetur (Fundo Geral de Turismo).

Segundo Marcelo Álvaro, desse montante, R$ 4 bilhões serão destinados para as micro, pequenas e médias empresas, num total de 53 segmentos. A liberação se dará pelo CNPJ ou pelo CPF para as guias de Turismo hoje registrados no Cadastur. Eles poderão ter acesso a até R$ 5 mil, de acordo com avaliação e liberação das instituições financeiras. 

O empréstimo, cuja carência será de 12 meses antes da primeira parcela, poderá ser usado como capital de giro ou para compra de equipamentos, reformas ou aquilo que a empresa ou empreendedor julgar ser a melhor opção. De acordo com o ministro, as taxas de juros neste primeiro momento serão menores que 1%, mas que ainda há uma negociação em andamento com as Caixa e as outras 17 instituições financeiras que participarão do programa para que este percentual seja ainda menor. As empresas interessadas passarão por uma avaliação de crédito. Para valores até R$ 200 mil, será necessário apenas o aval dos sócios. O Ministério do Turismo (MTur), através do Fungetur, assumirá 25% do risco. De acordo com o ministro, as grandes empresas poderão retirar empréstimos de até R$ 30 milhões. 

Passada esta etapa, a próxima meta do MTur será uma campanha para o retorno das atividades. O objetivo é fazer o brasileiro viajar pelo Brasil. “O plano começa por uma ação que busca sensibilizar os brasileiros para o Turismo nacional – somos o segundo país no planeta em recursos naturais”, explicou. “Na retomada, temos dados que mostram que destinos rurais e de natureza serão a opção número um. Vamos apostar nesse segmento que gera postos de trabalho e renda para nossa população.”

Outro ato articulado para a volta é a criação de um selo de biossegurança para atrações e equipamentos turísticos. A ideia é que o selo garanta ao visitante altos padrões de segurança e saúde. Para criar a “credencial”, o ministério conta com a parceria da Anvisa. “Daremos mais detalhes nas próximas semanas”, concluiu o ministro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *