Ativo 3

Aniversário do Projeto Mutum é comemorado na Ponte Queimada

Considerado pioneiro no quesito reintrodução de aves silvestres ameaças de extinção, o Projeto Mutum, patrocinado pela Cenibra, está completando esta semana 33 anos de existência. Para marcar a data, uma solenidade nesta quarta-feira, 12, na Ponte Queimada, que fica no território do Parque Estadual do Rio Doce. Na oportunidade, foram feitas diversas homenagens a pessoas, projetos e instituições que apoiam esta iniciativa ambiental. Participaram autoridades, imprensa, o ator e ambientalista Victor Fasano e representantes da CRAX (Sociedade de Pesquisa do Manejo e da Reprodução da Fauna Silvestre), que é parceria da Cenibra no projeto.

Quem também também recebeu uma placa comemorativa foi o projeto Rota do Mutum, coordenado pela produtora de eventos Ana Cleide Santos. Nele, os participantes participam, ao longo de um dia, de diversas visitas, entre elas na Fazenda Macedônia, onde conhecem o trabalho de reintrodução da ave na natureza, além de curtir a natureza exuberante e conhecer a produção familiar de produtos típicos mineiros num trajeto de 50 Km pela zona rural de Ipaba.

Durante o evento, foi feita a soltura de mais 10 casais de mutum-do-sudeste, espécie endêmica do bioma Mata Atlântica e criticamente ameaçada de extinção. Além do mutum, outras aves fazem parte do esforço do projeto, tais como: macuco, capoeira, jaó-do-sul, inhambuaçu, jacuaçu e jacutinga. A conservação e a proteção da biodiversidade são prioridades da estratégia de sustentabilidade da Cenibra. O patrimônio biodiverso da empresa é composto por mais de 106 mil hectares de florestas nativas, que sustentam variada e rica fauna silvestre e abundante recurso hídrico. São cerca de 600 espécies da fauna, mais de 620 espécies da flora arbórea e mais de 4,5 mil nascentes preservadas.

O presidente da Cenibra, Takashi Nakajima, destacou os esforços da companhia na atuação socioambiental. “Falar de um projeto importante como o Projeto Mutum, neste dia (12 de setembro) em que a Cenibra completa 50 anos, reforçamos a nossa preocupação com preservação ambiental e com um crescimento sustentável, cuidando do meio ambiente e das comunidades que nos cercam”, pontuou.

Como um dos homenageados, Fasano, destacou a importância do Projeto Mutum para a conservação da biodiversidade. “Ele cumpre papel fundamental na disseminação de diversas espécies da flora da Mata Atlântica. Se em todas as regiões do Brasil nós tivéssemos projetos como esse, com certeza estaríamos com o nosso meio ambiente preservado”, afirmou.

Nessas três décadas, cerca de 500 aves já foram reintroduzidas ao habitat natural, considerando as sete espécies contempladas no projeto. Outros 340 filhotes nascidos em vida livre já foram registrados durante os monitoramentos em campo. Estima-se que o número de filhotes seja expressivamente maior, pelo fato das matas da RPPN Fazenda Macedônia, serem conectadas a outras áreas preservadas pela Cenibra, o que possibilita a dispersão das aves para outras regiões.

Além da proteção às espécies de aves, o Projeto Mutum contribui ainda para a conservação dos fragmentos de vegetação nativa da região, uma vez que essas aves cumprem um papel importante de dispersão de dezenas de espécies típicas do bioma Mata Atlântica, contribuindo dessa forma para a melhoria da qualidade ambiental da região.

Ator e ambientalista Victor Fasano (ao fundo) e presidente da CRAX, Roberto Azeredo, foram homenageados em evento de 33 anos do Projeto Mutum