Ativo 3

Armva discute com municípios desenvolvimento do turismo regional

Com um quadro atual de quase 7 mil postos de trabalhos ligados direta e indiretamente a atividade – segundo dados oficiais -, o turismo vem, a cada dia, chamando a atenção das autoridades governamentais, que têm promovido reuniões de discussão do desenvolvimento da atividade.

Prova disso foi a reunião promovida esta semana pela Armva (Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana do Vale do Aço), com representantes dos municípios de Antônio Dias, Ipatinga, Marliéria, Santana do Paraíso e Timóteo, além de entidades como o Sebrae e Senar. Na pauta, a necessidade de cursos de qualificação nesse segmento. Na oportunidade, foi apresentado o programa “Agente de Turismo Rural”, executado pelo Senar. O intuito foi sensibilizar os municípios para adesão e realização do programa de modo conjunto.

Segundo o gerente regional do Senar, Luiz Ronilson, o programa tem sido um dos principais cursos ofertados pela instituição, que tem como foco um dos tipos de turismo que está em crescimento no Vale do Aço. “Ofertamos um modelo de qualificação para pessoas envolvidas ou que tenham interesse em promover ações de turismo que gerem ganhos para os produtores rurais. A intenção é que as pessoas que venham a se qualificar façam inclusão dos produtores rurais no processo, para que se criem mecanismos de receptivo, como alimentação, venda de produtos diversos, belezas naturais, turismo de experiência e outros aspectos no turismo rural”, destacou Luiz.

Pauta regional e ações conjuntas

Durante encontro com os secretários municipais, Luiz Ronilson ressaltou que o convite tem o objetivo reforçar que as ações sejam tomadas conjuntamente. “Na nossa visão, o turismo tem que ser trabalhado de forma integrada e regional para que a transição das oportunidades seja de forma compartilhada entre os municípios. Assim, o turista passa de um município para o outro, aproveitando as potencialidades de cada um. Neste sentido, o trabalho da Agência RMVA é indispensável para que esta conexão entre municípios e instituições se consolide. A forma como a autarquia organiza e faz essa interface institucional é preponderante para o sucesso”, avaliou.

Para o diretor-geral da Armva, Renato Martins Ferreira, a atividade turística deve ser tratada de forma regional e complementar entre os municípios. “A discussão deve ser levada a todos os municípios da RMVA e Colar Metropolitano, até porque as administrações municipais devem ter a clareza de que não são concorrentes e sim integram uma rede que atende ao turista. O município sozinho terá dificuldade em reter as pessoas por longos períodos, já a integração permite que o turista venha e fique na região por mais tempo”, pontuou.